segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Definindo a pressão correta e incorreta na costura

Definindo a pressão correta e incorreta na costura
pressão  correta e incorreta

A pressão correta assegura um avanço regular das camadas de tecido, que ficam assim convenientemente costuradas, sem sofrerem qualquer dano.

A pressão a ser utilizada dependerá do peso do tecido. De um modo geral, quanto mais leve for o tecido, menor deverá ser a pressão. No entanto,

com alguns tecidos é difícil conseguir uma pressão adequada para fazer avançar regularmente as camadas de tecido. É o caso dos tecidos com pêlo, dos de xadrez ou listas, que é preciso combinar, ou dos materiais vinílicos. Nestes casos, pode-se recorrer a acessórios especiais.

Exemplos de pressões corretas e incorretas na costura:

Uma pressão correta permite que as camadas de tecido sejam uniformemente impulsionadas, assegurando pontos regulares em comprimento e tensão; o tecido não é danificado nem pelo impelente, nem pelo pé calcador.

Um excesso de pressão pode ter várias conseqüências. Mais freqüentemente, a parte superior desliza e a inferior franze. Os pontos podem apresentar-se irregulares em comprimento e tensão.

Neste caso o impelente pode causar estragos na camada inferior do tecido. No entanto, a ação combinada do pé calcador e do impelente podem danificar a parte exterior das camadas de tecido.

Uma pressão insuficiente pode também ter conseqüências desagradáveis.

Uma das mais freqüentes consiste na falta de controle para guiar as camadas de tecido, mesmo que o avanço destas se esteja a processar regularmente.

Em alguns tecidos uma pressão insuficiente pode também dar origem a pontos em falso ou a que o tecido seja puxado para a zona da bobina.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Como funciona a interação do avanço e da pressão de uma máquina de costura.

Como funciona a interação do avanço e da pressão de uma máquina de costura.

Interação do avanço e da pressão na máquina de costura.

1. O impelente e o pé calcador mantêm o tecido esticado enquanto a agulha e a linha penetram neste. Quando a agulha desce, o impelente baixa.

2. Enquanto a agulha sobe, o impelente move-se para a frente. Entretanto, o pé calcador mantém-se sempre em contato com o tecido.

3. Ao mesmo tempo que a agulha continua a subir, trazendo consigo a linha, o impelente eleva-se também. O pé calcador continua a prender o tecido.

4. Enquanto o ponto está a ser formado no tecido, o impelente sobe para, juntamente com o pé calcador, manter o tecido esticado; em seguida, faz o tecido avançar.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A função do  impelente ou avanço numa máquina de costura.

A função do  impelente ou avanço numa máquina de costura.

O avanço na máquina de costura.

O impelente, comandado pelo seletor do comprimento do ponto, tem como função principal colocar o tecido na posição adequada para receber cada ponto. Contribui também para que as camadas de tecido se mantenham esticadas durante a formação dos pontos.

O avanço (comprimento do ponto) pode ser regulado em função do tecido e do trabalho.

O comprimento do ponto depende do tipo de trabalho e do tecido utilizado, como vimos recentemente.

Existe uma interação entre a pressão e o avanço de modo a permitir obter uma costura de pontos regulares. Designa-se por pressão a força para baixo exercida pelo pé calcador sobre o tecido de maneira que, durante a formação dos pontos, as camadas do tecido se mantenham juntas e se desloquem regularmente. O avanço consiste numa força ascendente que produz movimento dos tecidos sob o pé calcador.

Uma mola existente na barra do pé calcador torna possível a pressão. Esta mola, comandada por um seletor da pressão, entra em ação quando se baixa o pé calcador. O avanço é comandado pelo seletor do comprimento do ponto.

Se o seletor estiver regulado para um ponto muito apertado, o deslocamento do tecido por cada ponto será muito pequeno.

Em alguns trabalhos a ação do impelente ou avanço é totalmente eliminada — por exemplo, quando se pregam botões ou quando o comprimento do ponto é determinado pela forma como quem trabalha com a máquina faz deslocar o tecido.

Antes de iniciar qualquer trabalho, é conveniente experimentar a pressão e o avanço.

Com certos materiais, tais como os tecidos de pêlo e os materiais vinílicos, é difícil manter um avanço regular, dada a natureza da sua superfície. No primeiro caso, as duas camadas de tecido tendem a deslizar uma sobre a outra, ao contrário do que sucede com os materiais vinílicos, onde se verifica uma tendência para a aderência.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

A função da pressão do pé calcador numa máquina de costura

A função da pressão do pé calcador numa máquina de costura

A pressão na máquina de costura.

Numa máquina de costura, o termo «pressão» significa a força exercida sobre o tecido à medida que este se move sob o pé calcador por ação do impelente.

A pressão tem várias funções: prender as camadas de tecido de modo que elas se desloquem com a mesma regularidade; manter o tecido esticado, e evitar que este seja puxado para a zona da bobina e se enrole em torno da agulha, o que pode dar origem a pontos em falso.

A pressão pode ser regulada em função do tecido e do trabalho. Em regra, utiliza-se uma pressão leve para tecidos leves e uma mais forte para tecidos pesados.

Existe uma interação entre a pressão e o avanço de modo a permitir obter uma costura de pontos regulares. Designa-se por pressão a força para baixo exercida pelo pé calcador sobre o tecido de maneira que, durante a formação dos pontos, as camadas do tecido se mantenham juntas e se desloquem regularmente. O avanço consiste numa força ascendente que produz movimento dos tecidos sob o pé calcador.

Uma mola existente na barra do pé calcador torna possível a pressão. Esta mola, comandada por um seletor da pressão, entra em ação quando se baixa o pé calcador. O avanço é comandado pelo seletor do comprimento do ponto.

Se o seletor estiver regulado para um ponto muito apertado, o deslocamento do tecido por cada ponto será muito pequeno.

Antes de iniciar qualquer trabalho, é conveniente experimentar a pressão e o avanço.

Com certos materiais, tais como os tecidos de pêlo e os materiais vinílicos, é difícil manter um avanço regular, dada a natureza da sua superfície. No primeiro caso, as duas camadas de tecido tendem a deslizar uma sobre a outra, ao contrário do que sucede com os materiais vinílicos, onde se verifica uma tendência para a aderência.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Pespontos algumas recomendações.

Pespontos algumas recomendações.

Tipos de linha, agulha e comprimento do ponto para pespontos.

PESPONTOS (ALGUMAS RECOMENDAÇÕES)

Tipo de pesponto e de tecido

Linha

Agulha

Comprimento do ponto

Pesponto (reto)

Tecidos de tear e malhas, couro e materiais vinílicos de todos os pesos

Torçal de algodão ou sintético para costura à máquina

Números 100 ou 110 (16 ou 18) para tecidos de tear;

Números 90 ou 100 (14 ou 16) de ponta arredondada para malhas;

Número 100 (16) de ponta facetada para materiais vinílicos e couro

3-4

mm

(6-8 por polegada)

Pesponto (em ziguezague)

Tecidos de tear e malhas de todos os pesos

Algodão mercerizado número 40 ou 50;

Torçal de algodão ou sintético para costura à máquina

Números 90 ou 100 (14 ou 16) para tecidos de tear;

Números 90 ou 100 (14 ou 16) de ponta arredondada para malhas

2,5-3

mm (comprimento)

2,5

mm (largura)

Pesponto (agulhas múltiplas)

Tecidos de tear leves e de peso médio

Algodão mercerizado número 50;

Sintética

Número 90 (14) dupla ou tripla

1,5-3

mm

(8-15 por polegada)

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Como escolher a agulha, linha e comprimento do ponto adequados para diversos tipos de tecidos

Como escolher a agulha, linha e comprimento do ponto adequados para diversos tipos de tecidos

A escolha da espessura da agulha e da linha depende fundamentalmente da espessura dos fios do tecido quanto mais finos forem estes, mais finas deverão ser a agulha e a linha.

A escolha do tipo de agulha é determinado pela estrutura do tecido — de ponta fina (normal) para tecidos obtidos por tecelagem; de ponta arredondada para malhas; de ponta facetada para couro e materiais vinílicos.

O tipo de linha deverá ser escolhido de acordo com a estrutura do tecido e a natureza dos fios que o compõem. Veja  os tipos de linhas e suas utilizações na postagem :
"Corte e costura: Os tipos de Linhas utilizadas em costura."

A escolha do comprimento do ponto para costura simples depende do peso (peso e densidade), da textura e da estrutura (processo de fabrico) do tecido. Destes três fatores é o peso o mais importante. Regra geral, quanto mais pesado for um tecido, mais comprido deverá ser o ponto.

Dentro deste princípio, porém, tem que se recorrer a ajustamentos, os quais são determinados, pelos outros dois fatores — textura e estrutura.

Eis a razão por que o quadro abaixo apresenta uma gama  de comprimentos de ponto para tecidos de um determinado peso.  

Tanto o veludo como o crepe, por exemplo,

classificados como tecidos de peso médio, macios, para os quais se recomenda um comprimento de ponto de 1,5 a 2 mm. Para couro e materiais vinílicos sem revestimento no avesso, recomenda-se um ponto relativamente longo, que reduz o perigo de esgarçar, já que a agulha perfura menos vezes.

Antes de iniciar qualquer trabalho de costura, é conveniente experimentar e, se necessário, fazer o ajustamento da relação agulha - linha - comprimento do ponto.

O quadro abaixo destina-se a servir de orientação na escolha da agulha, linha e comprimento do ponto para costurar a maior parte dos tecidos.

Tecido

Linha

Agulha

Comprimento do ponto

Tipos Leves (macios)

Tecidos de tear: Chiffon, organza, crepe-da-china.

Tecidos em rede: Renda fina, tule

Malhas: Malha para lingerie

Algodão mercerizado número 50;

Extrafina (qualquer fibra)

Números 70 ou 80 (9 ou 11) para tecidos de tear e em rede;

Números 70 ou 80 (9 ou 11) ponta arredondada para malhas

1-1,5 mm

(15-20 por polegada)

Tipos Leves (rugosos)

Tecidos de tear: Cambraia fina, fustão, voile, organdi, bordado inglês.

Tecidos em rede: Algumas rendas, certas redes.

Malhas: ciré

Náilon;

Algodão mercerizado número 50;

Extrafina (qualquer fibra)

Número 80 (11) para tecidos de tear e em rede;

Números 70 ou 80 (9 ou 11) de ponta arredondada para malhas

1-1,5

mm

(15-20 por polegada)

Tecidos de peso médio (macios)

Tecidos de tear: Veludo, belbutina, seda, cambraia, batista, crepe, bombazina

Malhas: Jérsei, malha turca, malhas duplas, algumas malhas de camisolas

Poliéster;

Sintética;

Algodão mercerizado número 50

Números 80 ou 90 (11 ou 14) para tecidos de tear;

Números 80 ou 90 (11 ou 14) de ponta arredondada para malhas

1,5-2

mm

(10-15 por polegada)

Tecidos de peso médio (rugosos)

Tecidos de tear: Brocado, shantung faille. tafetá, peau de soie. chintz, piqué, percal, popelina, linho, sarjas finas, tweeds finos

Malhas: Algumas malhas duplas, algumas malhas unidas por colagem

Algodão mercerizado número 50;

Sintética

Números 80 ou 90 (11 ou 14) para tecidos de tear;

Números 80 ou 90 (11 ou 14) de ponta arredondada para malhas

1,5-2

mm

(10-15 por polegada)

Tecidos Pesados (macios)

Tecidos de tear: Veludo, bombazina larga, pano turco, algumas imitações de peles.

Malhas: Veludo elástico, algumas imitações de peles, algumas malhas de camisolas

Algodão mercerizado números  40 ou 50;

Algodão não mercerizado números 40-60;

Sintética

Números 90 ou 100 (14 ou 16) para tecidos de tear;

Números 90 ou 100 (14 ou 16) de ponta arredondada para malhas

2-2,5

mm

(10-12 por polegada)

Tecidos Pesados (rugosos)

Tecidos de tear: Tecidos pesados para ternos, serapilheira, tecidos próprios para colchões, lona, tecido para estofos, lã double-face, lona para velas, algumas sarjas, algumas gabardinas, alguns tweeds.

Malhas: Alguns jacquards, algumas malhas duplas.

Algodão mercerizado números 30-50;

Algodão não mercerizado número 30-50;

Sintética

Números 100 ou 110 (16 ou 18) para tecidos de tear;

Número 90 ou 100 (14 ou 16) de ponta arredondada para malhas

2,5-3

(8-12 por polegada)

Couro e materiais vinílicos leves:

Pelica, verniz, cobra, acamurçados,

imitações de couro e acamurçados

Algodão mercerizado número 50;

Sintética

Números 80 ou 90 (11 ou 14) para couro (ponta facetada ou ponta fina)

2,5-3

(8-12 por polegada)

Couro e materiais vinílicos de peso médio:

Materiais vinílicos tipo verniz enrugado ou do tipo gravado em relevo, imitação de pele de répteis, imitação de camurça, algumas camurças autênticas

Algodão mercerizado números 40 ou 50;

Sintética

Número 90 (14) para couro (ponta facetada ou ponta fina)

2,5-4

mm

(6-12 por polegada)

Couro e materiais vinílicos pesados:

Peles de boi, materiais vinílicos para estofos, algumas camurças

Algodão mercerizado números 30-50;

Sintética

Números 90 ou 100 (14 ou 16) para couro (ponta facetada ou ponta fina)

*Pode utilizar-se igualmente uma agulha de ponta fina.

3-4

mm

(6-8 por polegada)

 

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Máquinas de costura: Problemas comuns com as agulhas.

Máquinas de costura: Problemas comuns com as agulhas.

A agulha de costura — possíveis problemas

São numerosos os problemas relacionados com a atividade de costurar à máquina que podem ser atribuídos ao estado da agulha.

Veja as dificuldades mais comuns e as respectivas soluções:

1 - A agulha não está corretamente introduzida.

Se a agulha não estiver bem inserida no suporte ou a ranhura não se encontrar no lado correto, é comum a máquina dar pontos em falso ou mesmo deixar de formar pontos.

Solução: Cuidadosamente, volte a introduzir a agulha.

2 - O tamanho da agulha não é o indicado para a máquina ou para o tecido.

No primeiro caso, a formação do ponto é afetada.

Se a agulha for excessivamente fina para a linha, esta pode desfiar-se; se for excessivamente grossa, pode danificar o tecido.

Utilizando uma agulha demasiado fina ou demasiado grossa, os pontos podem parecer desequilibrados.

Solução: Escolha uma agulha de forma e tamanho adequados e coloque-a convenientemente.

 

3 - A agulha está danificada ou suja.

Quando a agulha apresenta rebarbas na ponta, no fundo ou no fresado, a linha pode desfiar-se ou mesmo partir-se e o tecido estragar-se.

Normalmente, uma agulha com a ponta rombuda provoca um ruído surdo ao penetrar no tecido, podendo também repuxar-lhe os fios ou dar pontos em falso.

Uma agulha torta pode igualmente dar pontos em falso ou repuxar o tecido para um dos lados, e ainda partir-se ao bater na chapa da agulha.

Se estiver suja, a agulha pode dar pontos em falso.

Solução: Substitua a agulha por outra em perfeitas condições.